Caneta na mao, versos no coracao

O poeta vive do escrever.

Escreve o que vive,

Escreve o que observa,

Escreve o que imagina.

A tudo quer transformar em poema.

O início e o fim.

A alegria e a tristeza.

O amor e o ódio.

A dor e a felicidade.

A rima e a falta dela.

Sem rima, com rima,

Cem poemas determina.

O nascer e o morrer

Em seus versos presentes

Transforma o leitor

Cúmplices ausentes.

Relação de amor universal,

Seja qual língua for,

Poeta e poema,

Eterno amor.

Trabalho sem igual

Dedicação total

A caneta está na mão,

E os versos, no coração.

A caneta na mão do poeta

É ser que desenrola.

Os versos do coração,

Arrola.

Os versos no coração do poeta

Descreve sua alma ímpar.

O que muito imagina

No papel aparece.

Versos e estrofes

Poesia e tema

Tudo junto e misturado

Para formar o poema.

Eu não sei o que dizer

Para você entender

Que a vida do poeta

O poema passa a ser.

E feliz a escrever,

Ele não deixa faltar,

Encanto e energia,

Para sua poesia mostrar.